22 setembro 2013

O recalque bate e volta (em você mesma)

|


Muito se discute nas redes sociais sobre os mais diversos e polêmicos temas. Existem debates de assuntos para todos os gostos, desde casamento gay até briga de fandons (para quem não sabe,é a junção das palavras fan + kingdom, em inglês). Entre uma resposta atravessada e outra, os xingamentos de recalcada e invejosa são os mais comuns.

Recalque é um sentimento extremamente comum na adolescência. Não é banal, não é fútil e muito menos superficial. As pessoas apenas não sabem utilizar as palavras certas na hora devida, e olha só, distorcem o sentido original das coisas. Recalque é quando se vê o seu ex com a atual namorada ou o ficante "pegando" (desculpem, mas não consigo me acostumar com esse termo) uma nova menina. Não é propriamente inveja, pois muitas vezes fomos nós mesmas que terminamos a relação, e sim a sensação de ser a outra. A vela. A observadora. A que está ali, mas que não tem a menor importância.

Fiquem tranquilas: recalque não é crime. O que realmente importa nesse caso é o que você faz com o sentimento (aliás, como em qualquer outra situação). Incriminar o tal casal, chorar litros nas redes sociais, fazer drama para as amigas, difamar o "criminoso" que te trocou: nada disso muda seu status. Violência nunca aproxima, pelo contrário, cria um vácuo ainda maior dentro de um relacionamento recentemente rompido.

Não tem jeito. O sentimento vai te acompanhar por um longo tempo, por mais feliz que você esteja com outra pessoa. O que muda é a intensidade, a frequência e, quanto mais resistimos em perder essa mania de se sentir á margem, mais tempo demora para nos livrarmos dessa condição de satélites de uma relação.Tem passados que nunca se apagam porque são como cicatrizes: fecham, clareiam, mas nunca desaparecem completamente. São as famosas e fabulosas marcas do pretérito que, dependendo das suas atitudes, se transformam em lições e não em raiva e mágoa. Essas reações não fazem mal a eles, e sim a você mesma.

Deixa os dois serem felizes, vai, não precisa necessariamente perdoar: precisa é respeitar. Revanche e vingança são coisas que voltam diretamente em quem as praticou. São as escolhas deles, portanto as conseqüências também recairão sobre eles. E se estiverem mesmo errados, e se ele for mesmo um cafajeste, um imbecil (como você o costuma chamar), a vida cuida de fazê-lo pagar. Muitas vezes, o erro foi contigo mas ele pagará de outra forma, com outras pessoas, em outras situações. Fique tranquila: a natureza é justa, entretanto, age conforme o seu próprio tempo.

Existe um ponto em que se cansa de olhar a felicidade alheia como mera espectadora. Se ela, tão vadia como dizem, está em um relacionamento, porque você não tem a mesma chance? Recalque só serve de impulso para novas vivências. Eu realmente acredito que existe uma nova oportunidade para qualquer pessoa que se disponha a cuidar mais da sua vida do que da dos outros. É a lei da ação e reação: nada de bom virá para você enquanto bons sentimentos não ocuparem o lugar aí dentro.

----------

E você, já se sentiu assim? Concorda ou discorda comigo? Deixe sua opinião aqui em baixo para discutirmos o assunto, e, quem sabe, trocar algumas experiências :3

---------
Texto escrito por Jubs - nova colunista de COMPORTAMENTO do blog Nada Over
Sigam no Twitter: @jubsdadems
Mais textos em: www.coloridoinfinito.blogspot.com















1 comentários:

T